Como conversar sobre assuntos delicados com os pequenos

Olá, mamães e papais!

A curiosidade e questionamentos das crianças é que vai ditar como, quando e a quantidade de informação que precisa ser conversada. Alguns assuntos delicados podem ser tratados sem seu pequeno questionar nada, pois é importante para vocês, mamães e papais, estarem atentos a questões como bullying, preconceito e o quanto eles entendem sobre o assunto. Antes de descobrirmos como conversar sobre alguns assuntos delicados, lembrem-se de deixar seu pequeno bem confortável e observar se ele fica mais calado para alguns assuntos ou consegue falar e demonstrar mais interesse por outros.

  1. 1. Bullying

Inicialmente, é preciso ajudar seu filho a compreender o que é bullying, como identificar e procurar ajuda. Uma criança vítima de bullying pode ter medo e não se sentir à vontade para falar com receio de sofrer novas ofensas. Essa conversa precisa acontecer várias vezes, fazendo perguntas de como foi o seu dia na escola, se tem muitos amiguinhos, como são esses amiguinhos, o que mais gosta neles. Fora isso, é importante observar alterações no comportamento, se estão mais introspectivos, com medo de ir à escola, se teve baixa no rendimento escolar.

  1. 2. Sexualidade

As crianças estão super atentas aos hábitos e comportamentos dos adultos. Ao assistir a uma novela, filme ou ver pessoas do mesmo sexo juntas nas ruas, os questionamentos começam a surgir. O primeiro passo da conversa é falar sobre respeito ao próximo e explicar que homossexualidade é mais uma forma de amor, assim como a heterossexualidade. Trate o tema com naturalidade e reforce que não precisa julgar ninguém pelas suas escolhas, o melhor e mais importante é respeitar as diferenças.

  1. 3. Drogas

O melhor jeito de iniciar essa conversa é salientar sobre a importância dos hábitos saudáveis, diferenciando o que faz bem e mal à saúde. Dependendo da idade do seu pequeno, explique o que são drogas, porque elas são perigosas e porque evitar o consumo.

  1. 4. 16Morte

É preciso abordar o assunto com delicadeza, mas deixando claro que é um processo natural, que acontece não só com pessoas que gostamos, mas também com animais, plantinhas. Quando envolver o falecimento de alguém próximo, use elementos práticos para explicar sobre o ciclo do nascimento, crescimento, doença e morte.

Mamães e papais, lembrando que para cada assunto, não é necessário incluir todas as informações de uma só vez. Observe como seu filho reage e demonstra satisfação com as explicações recebidas. E, caso sinta necessidade, procure um especialista para conversar sobre traumas ou conflitos emocionais.

Beijinhos de morango e até a próxima.

Comentários